quinta-feira, 8 de julho de 2010

[CONTINUAÇÃO]

um


DO OUTRO LADO


Naquela noite não iria ter sexo com minha participação do outro lado. Que vergonha, tive a capacidade de colocar um copo na parede para ouvir melhor. No começo as vozes se confundiam, ela falava, ele falava, os dois ao mesmo tempo, era impossível bisbilhotar... Até que a voz dela, estridente e raivosa, se elevou:

- O que é que você tinha que falar com ela?!
- A menina estava cheia de sacolas e eu só apertei um botão.
- Eu vi como ela te olhou. Não, não, vi como vocês se olharam! De menina ela não tem nada!!!!
- Amanhã a gente conversa.
- Não tem amanhã! Não tem mais nada, eu tô de saco cheio disso tudo!
Hesitação. Quase parei de respirar. Ele não esperava por isso. Nem eu.
- Se você não quer conversar agora, tudo bem. Eu vou embora. Você tem meu telefone.

Não ouvi mais vozes. Alguma coisa se quebrou. Eu juro que não abro mais as pernas pra ele. E não ouço, não desejo... nada. Para! Ela não parou de jogar coisas no chão. E de vomitar palavrões. Acho que preferia quando ele metia e ela dava gritinhos afetados. Pelo menos eu tinha a chance de fantasiar sem interferências externas.

Se me restasse algum juízo teria me jogado na cama e tapado os ouvidos, esquecido tudo. “Nina, fica na tua”, Karen diria se estivesse em casa. Quem? Eu? A porta da vizinha se abriu e espiei pelo olho mágico. Bernardo saiu chutando a parede e chamou o elevador. Minha porta também se abriu. Por razões que as partes baixas explicariam é que o puxei para dentro.

A camisa xadrez nem de longe fazia meu gênero, ele parecia bem mais velho que eu, tinha rugas, mas o cheiro era bom. Cheiro de homem... Tão perto! Aposto que até lá embaixo era cheiroso. O perfume devia ser daqueles caros, que eu só compraria para um namorado no cartão, em dez vezes sem juros e muito bem embalado para presente. Perfeito.

Ele estava atônito, não sorria:
- Por que você fez isso? É louca também, é isso?
- Não sei.
- Você deve ter ouvido tudo – passou a mão pelos cabelos. – Helen não é muito discreta.
- É, as paredes são finas...
Desconforto mútuo.
- Então você sabe que agora não é uma boa hora pra gente se conhecer.
- Me desculpa – segurei-o pelo braço. - Se não fosse por mim vocês não teriam brigado. Posso falar com a sua namorada e dizer que a culpa foi minha. Porque a culpa foi minha.
Que solução estúpida! Era tudo que eu não queria – resolver o problema deles.
- Não. Ela só ia ficar mais irritada.
- Espera – o encarei. Ficamos tão próximos que nossa respiração se confundiu. Como não tinha mais palavras para convencê-lo, busquei impulsivamente o beijo que imaginava havia dias. Ele quis se afastar, resistiu... não por muito tempo e fomos nos envolvendo e eu procurei não pensar na vizinha. Ele tocou minha boca com a ponta dos dedos, me olhou. Eu não sabia se podia, mas avancei abrindo a camisa xadrez e me prendi a ele para fazer o que meu corpo pedia. Arrepio. O celular vibrou insistentemente e continuamos nos beijando sem nada dizer. Eu só saberia no outro dia que era Gabriel me chamando para sair. Se Bernardo me considerasse uma louca e só quisesse ficar uma única noite, eu estava pronta. Estava?

Aceitei a língua na minha, provei seu gosto, me deixei explorar. A mão dele entrou no jeans e me fez estremecer com a invasão. As pernas se dobraram involuntariamente e todo meu corpo amoleceu de uma vez. Acabamos no chão, amontoados num canto da sala. Rolei sobre os tacos de madeira para tomar fôlego. Era assim que ele fazia do outro lado...
Ele veio atrás de mim.
- Você é louca.
De novo tão perto. O hálito que era meu também, o meu gosto em sua boca.
- Eu nem sei quem você é.
- Você tá perdido!

Um roçar da língua ao redor da minha boca, que tremia e pedia baixinho para ele continuar. Bernardo começou a beijar e me mordiscar o pescoço e só parava para olhar minhas reações. Impossível disfarçar a excitação quando ele puxou sem paciência o jeans pelos joelhos junto com a calcinha e qualquer pudor que pudesse existir. Ai, vou gemer que nem a outra... Eu estava descoberta e dócil, eu era toda palpitação e quase implorei que me tocasse, me levasse, me possuísse. No primeiro contato cravei as unhas em seus braços. Senti que estava pronta, que era eu e que era outra, inundada de sensações inesperadas, e queria que acontecesse.

Bernardo se livrou do resto da roupa e se juntou a mim, tão íntimo, e nos movimentamos como velhos amantes, num mesmo ritmo. Não havia mais nenhuma barreira entre nós, só a respiração ofegante dele, meu deleite e o ar da noite, úmido, intenso, revelador.


14 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Alline,

O tesão é grandessíssimo sacana.

Ficou show seu texto.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Marco Henrique Strauss disse...

Poxa! Tá muito bom. Hahahahaha! Muito bom de ler, mesmo. Texto bem escrito assim é bom de ler até quando se descansa da leitura. Parabéns, mais uma vez, sem querer ser enjoativo, meus parabéns.

http://marcostrauss.blogspot.com/

Cármen Neves disse...

Olá, querida! Aindda estou extasiada com a leitura! PARABÉNS!Voltarei mais vezes. Beijo, bom fim de semana!

Milene disse...

uuuuuhhhh, picante!!! Muito bom o texto Alline. Quero ver se agora nas férias da faculdade consigo voltar a visitar blogs hehe!!!
Beijinho!

Milene disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Luna Sanchez disse...

Uau!

Não sei o que me surpreende mais : se a Nina ter puxado o Bernardo para dentro de casa ou se ele, puto da cara com o escândalo da outra, ter ficado tão à vontade, de cara.

Adoro rompantes e pessoas doidas pra transar...ahahahaha

Muito ótimo, gatona. Manda mais, viu? Manda mais que isso promete! =)

Beijo, beijo!

ℓυηα

Allyne Araújo disse...

rsrs demais!!!! adorei!!!!!!!!! beijo Li!!!!!!!!!!

Minha Vida disse...

Nooooooooosaaaaaaa, que coragem da Nina. muito bom seu texto, passarei aqui mais vezes quero vê a continuação dessa história.
bjos

Sylvia Araujo disse...

Eita, coisa boa! Nina é das minhas! rs

Beijoca, querida

Tatiana Zacheo disse...

Muito bom Aline!!!

um ótimo texto para ler e querer ler mais e mais.

beijo

L. M. de Souza disse...

oi quanto tempo! estou de blogue novo: http://luisandromendes.wordpress.com/
bjo

Alline disse...

Rebeca:
Bota sacana nisso!
E rebelde. rsrs

Beijão!

----------

Marco:

Texto escrito e reescrito - sempre acho que merecia um retoque aqui, outro ali. Valeu! ;)

---------

Cármen:
Que bom! Quinta-feira tem mais, viu?
Beijo, boa semana pra ti =)

---------

Milene:
Dei uma mexida, tirei umas coisinhas over... rsrs... ei, boas fárias!

Beeeeeeeeijo

--------

Luna:
Ela não tem juízo... ele perdeu o dele. Doidos! O tipo de gente que eu mais gosto.

Esses rompantes dão o tempero pra tudo fluir. E como flui, e flui devagar, num crescendo... huahuahuahuha

Beeeeeeeijuuuuuuu!

---------

Nine:
Tô sumida, né? Apareço logo.
Brigadin e... beeeeijo pra ti!

---------

Minha vida:
é porque ela agiu sem pensar.
Quinta tem mais.

Beijos

---------

Sylvia:
Das minhas também - umas das minhas crias preferidas. hehehe

Beeeeeijo!!

---------

Tatiana:
Oiiii!
Que bom ver você por aqui, e mais ainda saber que gostou... isso é que eu mais curto fazer - escrever.

Beijo!

----------

L.:
Vou te visitar esta semana.
Beijo

Luna Sanchez disse...

Que guria sacana...ahahahaha

Beijo, beijo.

ℓυηα

Alline disse...

Sacana? Quem? Ela? Eu?

shuahsuhausaus...

=P

Te adoro, mulher!

Beijo!