domingo, 21 de março de 2010

Os novos civilizados

- Você por aqui?
- Humm... Oiii... Estou esperando um amigo.
- Amigo? Alguém que eu conheço?
- O teu dentista.
- O meu dentista? Aquele de quem você vivia reclamando...
- É esse.
- Há quanto tampo tá rolando isso?
- Não se preocupe, foi depois que a gente se separou.
- Ah, menos mal. Um brinde a vocês!
- Espera aí, ainda não aconteceu nada, ele só extraiu meu siso.
- Ainda não, mas vai.
- Quem sabe? Mas me conta de você.
- Ando meio parado. Muito trabalho, como sempre.
- É mesmo? Não é o que eu tenho ouvido por aí.
- Como assim?
- Digamos que você tem uma vizinha que mora com uma amiga minha.
- A Ana?
- Exato.
- O que ela disse?
- Me diga você.
- Ela apareceu numa noite que eu estava deprimido e bêbado e... aconteceu. E nós não estamos namorando nem nada.
- Sei.
- Você se irrita com isso? Nós não somos mais casados.
- Ai, é mesmo... às vezes até esqueço.
- Tudo bem, de vez em quando acontece comigo também.
- Não tem nada a ver com o assunto, mas eu não joguei nossas fotos fora, fiquei com pena.. Quer alguma pra guardar?
- Não precisa, não. Já faz tanto tempo...
- Tem razão. Acho que vou querer uma cerveja também.
- Garçom!
- Até hoje a mãe pergunta de você. Coitada, ela ainda não se conformou com a nossa separação. E olha que já tem um ano que não estamos juntos...
- Ela ainda faz feijoada no sábado?
- A-hã.
- Saudades da dona Jurema... Apesar de ser minha sogra eu gostava muito dela. Ainda gosto.
- E os teus pais?
- Viajando, pra variar.
Silêncio repentino.
- Que coisa, não? Quem diria que a gente um dia ia sentar e conversar assim?
- O tempo passa e as pessoas mudam. Ainda bem! E falando em mudança, você está superbem. Mais magra, mais bonita... Tô gostando de ver.
- Brigada... Eu nem ia falar, mas você ficou pelo menos uns dez anos mais novo sem barba.
- Ah, é?
- Engraçado, você não parece o homem com quem eu vivi quatorze anos.
- Eu estava pensando a mesma coisa de você.
- Por que foi mesmo que a gente se separou?
- Sabe que eu não me lembro?
- Deve ter sido por alguma bobagem minha. Eu era implicante demais, te enchia o saco o dia inteiro.
- Eu é que era preguiçoso, machista e mandão. Como você me aguentou tanto tempo?
- Eu te amava.
- Eu também te amava.
- Nós fomos felizes.
- Fomos.
- Nunca vou me esquecer.
- Nem eu.
- Meu dentista está vindo. Aliás, seu dentista. Você nem tocou na cerveja.
- Não faz mal, fica pra próxima.
- Traz ele pra cá. Podemos beber juntos, nós três.
- Não dá, você sabe. Mesmo assim gostei de te ver.
- Eu também. Queria te ver de novo.
- Me liga...
- Eu ligo.

10 comentários:

Nó! disse...

será q liga???

ahhh, não sei
não acredito mto em separações civilizadas

Alline disse...

Nó, e por que não? A separação foi conturbada, mas eles estão se encontrando um ano depois e admitindo as falhas. Por isso são "os novos civilizados".
Sei lá, também não é nada real. rsrs
Beijo

Luna Sanchez disse...

Ahahahahaha

Adorei, Allyne!

Tá aí uma cena que jamais aconteceria comigo : ex, pra mim, deveria mudar de planeta. Sinto o maior desconforto quando encontro um.

=\

Beijo, beijo.

ℓυηα

J. disse...

Já viu o filme "Simplesmente complicado"? Parece muito com essa sua história...

Beijos.

Alline disse...

Luna:
Eu sou Alline... =P
E não sabes que há muito, muito tempo eu tinha a infeliz ideia de querer ser amiga de meus ex-namorados? Cafona demais, né? Já parei com isso, acho que não tem a mínima graça.
E eu aqui nesta cidade de vez em quando vejo um na rua. Faço a distraída: atravesso a rua e finjo que não é comigo. Who's bad?
Beeeeeeeeeeeeeijo

J.:
Não vi, não. Mas no futuro... tá anotado! E com Meryl Streep (divina) e Steve Martin (hilário) deve ser uma boa pedida.
Beijos

Allyne Araújo disse...

srsrsrsrsr vixe alline troca de escrita?! srsrsr perdoei a Luna! srsr é meio sem graça mesmo, sei lá é pagina virada... a vida segue, nada haver... beijao!!!!!!

Nó! disse...

tem gt capaz de um final diplomático
acho q eu não

tem uma musiquinha que fala "pra meu amigo, você não serve"

e pra mim ex não serve nem pra coleguinha

Luna Sanchez disse...

Ah, tu me desculpa pelo engano? Dessa vez confundi teu nome com o da Allyne, que comenta aqui, também.

Quer me ver doida? Me coloca pra comentar, em sequência, nos blogs da Dani, da Danny, da Danni e da Dany. ¬¬

Rs

* Sim, meu bem, é algo cafona e impraticável. Acho que tu faz muito bem em trocar de calçada. ;)

Beijo, beijo.

ℓυηα

Alline disse...

Allyne:
Somos diferentes pelo "y/i"... hehehe
Acho que naquele caso ali da historinha a página não tava muito bem virada, não. Deve ser amor reciclado... rs
Beeeeeijo

Nó:
Meu final mais diplomático foi por e-mail. Que feio, né? Mas foi preciso.
Por que será que relacionamento que acaba é sempre muito complicado? Aliás, é tudo complicado do começo ao fim.

Luna:
Não tem problema. Uma vez quase digitei Lana em vez de Luna... rs Lana também comenta aqui.
E Alline e Allyne é bem parecido.
E qualquer coisa eu corrijo de novo. =P

Eu disfarço bem. Já teve um que passou do meu lado e fiz que não vi. Cara de pau! =O
hauhauauaua

Beijão!

Eraldo Paulino disse...

Aaah, eu amo recaídas e encontros desse tipo. Adoro uma carga dramática num encontro como o que descreveste muito bem.

Bjs!