quarta-feira, 17 de março de 2010

Pasta Memória >

Mesmo com algum tempo de terapia, análise e doideiras do tipo, ainda digo que sou ansiosa, apressada a vida toda, impaciente e estressada. Tá feia a coisa, né? Por isso, foi providencial a senhorinha de cabeleira branca ter me pedido para ajudá-la a atravessar a rua. Na hora, o pensamento mais idiota do mundo: Ah, não. Mas como resistir aos seus argumentos? Ela queria atravessar a rua, não estava enxergando direito e tinha medo. Então lá vamos nós! Meu andar estilo trenzinho teve que se adaptar à maneira dela se locomover, mais lenta. E fomos, de braços dados. Quase no meio da faixa o sinal vermelho deu lugar ao verde. Os motoristas dos carros respeitaram, só um motoqueiro da peste avançou, tirando um fino assustador de nós duas. Fora isso, atravessamos bem, obrigada, e chegamos inteiras e faceiras ao outro lado da rua. Foi a primeira vez que a acelerada aqui fez uma boa ação desse tipo, sabe? E foi bom, para arquivar na memória como um momento feliz de um dia de março.

11 comentários:

Eraldo Paulino disse...

Atravssar pessoas idosas quase não fiz em minha vida, mas ajudar cegos/as a apanhar o busão eu já fiz demais. Tomara que ajudar cegos valha mais pontos ao céu rsrs

Bjs!

Dai disse...

Alline,

Mas a sensação é boa, não é? Certa vez eu estava morrendo de pressa e uma senhora pediu pra eu levar as compras dela do mercado ¬¬
Estava super pesado, fiquei pensando como ela levaria aquilo sozinha, me senti bem,enfim, a velha história de quem ajuda quem, no final das contas.

beijo

vida cotidiana disse...

Boa Ação´sempre é bom. Vale mais que tudo...Bjs!!!

Nó! disse...

ahhh, que bonitinhoooo

x)

qto a ansiedade
acho q não tem cura não... pra mim passa só com a morte... e desisto da análise pra resolver isso
uehehehe

mas as vezes eu desacelero... quase paro... pra ficar quietinha longe de td q me deixa ansiosa

Lucão disse...

E essa foi sua primeira sessão de terapia... o dinheiro você pode colocar naquele pote, alí!
rs

:)

As vezes me pego impaciente assim tb. Estou precisando de umas terapias assim rs

Beijos, Alline!

Flávia Fayet disse...

Passando pra dar um oi e tchau! Hehehe Beijosss

Alline disse...

Eraldo:
Mas no meu caso me atrasei toda pra banho, almoço e trabalho. Isso não conta? =P
Beijão

Dai:
Parece que o coração enche tanto que transborda.

Se estava pesado pra ti, imagina pra ela. E um dia pode ser que estejas nessa situação, no lugar dessa senhora. Eu também. Todos nós.

Ana:
Oi! Saudades!!!
Solidariedade é uma palavra bonita, não?
Um beijão bem grandão pra ti

Nó:
Até custo e dormir, sou um tormento pra mim... ainda bem que me divirto com isso, senão... huahuahua
Desacekerar eu não sei. Me disseram pra fazer tai chi chuan. Fui. Saí mais ansiosa... que coisa mais devagar, sô!

Lucão:
Há muuuitos anos, quando eu tava sem emprego, o analista adotou o sistema de anotar na caderneta pra que eu pagasse quando tivesse emprego de novo. Tava precisada a menina, hein? hihihi
Hoje acho que sei tanto de mim que não preciso pagar para que me digam.

Fica à vontade pra aderir. Um olhar de agradecimento e carinho mata qualquer impaciência. =)))
Beeeeeeeijo

Flávia:
Oiiiii... tchaaauuuu... rs... vou te visitar hoje, ou amanhã.
Beijos

Luna Sanchez disse...

Ow, e eu achei isso lindo, sabia?

É daqueles momentos que merecem uma moldura bonita e um lugar "na parede da memória". ^^

Beijocas.

ℓυηα

Janderson disse...

U´re so nice ;)
teu
j

Allyne Araújo disse...

ae alline! parabens!!!!!!!!! srsrsrsr ta seguindo os brejos.. valeu!!!!!!! beijao!!!!!!!!!!

Alline disse...

Luna:
Merecia mesmo, porque eu sou muito desligada, não presto atenção em ninguém na rua, fico na minha. E aquela senhora me despertou, foi muito bacana.
Beeeeeeeeeijo

Mor:
És minha inspiração, sabias? =P
Beijo, beijo, beijo

Allyne:
Eu sou meio devagar, mas chego lá.
Beijos pra ti