sexta-feira, 30 de abril de 2010

Fast forward

Felipe e Taci se conheceram pelo Twitter. Ele tinha um amigo que seguia a Taci e achou seus tuítes divertidos. No dia seguinte surgiu a curiosidade de saber como o outro era, e as webcams foram ligadas. Em dois dias, sentiam-se íntimos conversando horas a fio pelo MSN, espiando fotos e bisbilhotando no Orkut do outro. No terceiro dia, deixaram escapar o número do celular. E, pelo celular, o endereço. No quarto, trocaram confidências e admitiram a atração. No quinto, fizeram sexo pela internet. Finalmente no sexto dia combinaram de se encontrar. E chegaram no shopping quase à mesma hora, de banho tomado e camisinha escondida no bolso. E se olharam, de longe. Se aproximaram sem saber o que esperar, e um beijo no rosto foi o máximo de intimidade que se permitiram. Felipe achou que Taci falava demais. Taci considerou Felipe muito retraído ao vivo. Ele olhou o relógio. Ela pediu um cigarro. Ele disse que não fumava. Ela olhou uma sandália linda na vitrine. Ele disse que estava atrasado. Ela disse que precisava comprar um presente. E nunca mais se falaram.

6 comentários:

Ana B. disse...

pelo menons o desinteresse foi mútuo...

e o mundo real sempre esfriando as emoções do mundo virtual, tsc

ou seria o contrário? hehe

beijo

Eraldo Paulino disse...

quantas vezes eu já não passeipor uma situação mais ou menos assim...

Sempre fico um pouco tímido com o inusitado rsrs

Bjs!

Luna Sanchez disse...

Rá!

"Essa é uma obra de ficção, qualquer semelhança..."

Rs

Beijo, beijo, beijo.

ℓυηα

Menina Misteriosa disse...

Hum... que triste isso... impressionante como, pela net, deixamos a pessoa se aproximar sem o 'olho no olho', né? Sinto falta de toque, de presença, de cheiro...

Gosto de seus contos!

Beijo

Marco H. Strauss disse...

Engraçado, na Internet, todo mundo faz tudo. Ninguém tem vergonha de aparecer, todo mundo é 'pegador (a)', não há vergonha em conversar, discutir, escrever. Não se tem medo de nada, a internet nos protege. Ao vivo se conhece os verdadeiros. A futilidade de hoje em dia faz com que as pessoas finjam ser o que não são. Preferem aparecer ao SER. Cômico, no mínimo cômico.

Alline disse...

Ana:
Pior seria se um ficasse a fim e o outro não...
O mundo real sofreu mudanças drásticas, mas teu questionamento me pegou. Não seria um pouco de cada coisa? rs

Eraldo:
E eu, que sempre fui tímida? E na vida real, às vezes chegava - chegando - com tudo e assustava.
huehueheuheueeeee
Beeeeeeeijo

Luna:
Essa não é minha, foi invenção na pausa do trabalho. OK, conheci caras pela internet quando isso ainda era mais ingênuo... já saí, beijei... namorei sério e tudo, bem mocinha... hehehe...
Beijãozão!!

Menina:
É estranho, bizarro, e acontece.
Brigada!!! =)
Beeeeeijo

Marco:
Todo mundo pode ser anônimo, pode ser e dizer o que quiser. Pode ser uma grande brincadeira, e também pode ser pra fazer mal a alguém. Todo cuidado é pouco.