quinta-feira, 19 de agosto de 2010

oito

NADA SÉRIO


Voltei com peso a menos na bagagem – João ficou para trás com a maior parte da coleção de sandálias e o orgulho ferido. No início foi bom observar tudo de cima do salto e depois me encaixar em João e gozar. Mas passou. Nova York, as baladas, o sexo sem limites. A vida continua. Quando dei por mim estava ligando para Lúcio. Alguém atendeu – a mãe? – e avisou que ele havia saído com a namorada. Ahhhh... Vejamos então... Gabriel? É... Gabo. Ele não acreditou:

- Você largou o mané?

- Mais ou menos.

Não expliquei muito mais. Vamos sair? Você já comeu? Não? Então vamos jantar na cantina aqui perto. Às nove, pode ser? Te vejo lá. Desliguei antes que ele estendesse o assunto e fiquei ouvindo música até passar um pouco da hora. Estava roendo as unhas de novo, ansiosa... porque esse não era exatamente o encontro que eu imaginava, não era com Lúcio, mas tinha que dar certo.

A cantina minúscula e mal-iluminada era perfeita para um jantar a dois, só faltava Gabriel. O desgraçado não estava ali! Por que, por quê? O garçom, me vendo plantada no meio do salão, veio às pressas. Avisei que meu amigo chegaria em seguida.

A conversa de sempre:

- A senhorita gostaria de beber alguma coisa?

Gabriel chegou depois de eu ter pedido a segunda taça
do vinho da casa, “o mais em conta”. O carro não pegou, ele teve que chamar o mecânico, o cara demorou, acabou a bateria do celular, etc. Podia ter dado um jeito de avisar, não é? Esfriei. Dois beijos, no rosto. Eu queria distância, não conseguia conter a raiva por ter ficado ali sozinha, mas senti a pele dele quente, avermelhada, quando encostou na minha. Talvez tivesse tido mesmo um contratempo...

Só relaxei – e muito – na terceira taça e Gabriel se aproveitou do meu estado para espiar o que havia sob o decote. A pele úmida pela expectativa. Incrível que com toda a pegação ainda não havíamos transado, não até o fim.

- Vamos sair daqui, Nina...

- Ainda não, apressadinho. Vamos comer primeiro.

- Então a gente come e depois come de novo.

- Como você é grosso! – ri.

- Você não gosta assim?

- Não sei.

Não sabia mesmo. Inventei pequenos detalhes da viagem, detalhes picantes, esperando que ele se mostrasse curioso e perguntasse mais. O que eu tinha para contar não era totalmente invenção nem exatamente verdade, só quis enciumá-lo. Gabriel nem se alterou, merda! Muito pelo contrário. Veio com uma conversa de que estaria embarcando para uma temporada em Milão e queria ficar comigo antes de viajar. Um alarme interno tocou. Ficar comigo antes de viajar? No susto acabei derrubando a taça, um estrago e tanto sobre a toalha branca que cheirava a sabão em pó. Gabriel não me censurou, ficou procurando alguma coisa para enxugar a toalha empapada de vinho. Lógico, eu estava meio alta, e nessas condições acabo fazendo coisas idiotas como pegar uma das pontas do vestido na tentativa de evitar que a mancha se espalhasse. Um vestido que Karen custou a me emprestar! Besteira feita, lá estava eu quase mostrando o que não usava por baixo e não havia mais surpresa. Aliás, surpresa que era para Lúcio...

- Você esqueceu a calcinha... – ele riu.

- Não é nada disso – me irritei.

- Mas eu gostei. É menos uma coisa pra eu tirar.

Cara, onde eu fui me meter? Nos beijamos à luz de velas sem nenhum romantismo. Ele me atiçava deliberadamente por baixo da mesa, os dedos longos me apertando a virilha, me encorajando a corresponder ali mesmo. O maître, coitado, estava pronto para vir até a mesa restaurar a ordem, porém notou a situação e disfarçou, obviamente constrangido com nossa falta de vergonha.

Saímos com pressa, esquecidos do vinho derramado e da gorjeta. Eu me apoiava em Gabriel, a fim de que ele me levasse e fizesse o que tinha vontade, tanta vontade quanto eu. Será que ele iria me dar prazer? Sugeri o motel mais próximo, vamos logo com isso! Se fosse limpo e discreto estava ótimo. Nada feito, Gabriel teimou em me levar para a cama dele, na casa dos pais... Tia Zélia e tio Inácio! Isso vai dar merda!

Degraus altos não foram feitos para pessoas embriagadas. Subi na ponta dos pés, quase caí algumas vezes, ia começar a rir, Gabriel me tapou a boca para eu não acordar os velhos. Fomos até o fim do corredor. Gabriel olhos de gato, bonito além da conta e meu primo, me levava para uma trepada ao lado do quarto de papai e mamãe. Vale a máxima de que ninguém é perfeito, mesmo tendo um pau majestoso dentro da cueca.

A chave girou na fechadura e nos trancamos, deixando as palavras do lado de fora. Isso foi um alento, pois não tínhamos muito que debater. Gabriel tentou tirar a roupa, a minha e a dele ao mesmo tempo. Como era de se esperar, esgarçou a costura do vestido tentando arrancá-lo de meu corpo sem abrir direito o zíper. O vestido de Karen! Ela jamais me emprestaria outro depois que visse o que Gabriel tinha feito. Nem vou pensar nisso agora. Acabei de tirá-lo sozinha e o atirei na cadeira. Maldito zíper!

Nus. Quanto tempo esperamos por isso? Transamos várias vezes, de lado, eu por cima, depois ele, na beira da cama, de pé, com os peitos pulando furiosamente... Sem vontade de parar, pedi a saliva dele para me lubrificar na segunda vez, gozei na terceira, depois não tinha mais noção se havia conseguido manter a boca fechada todo o tempo para não acordar os tios. Só quando chupava o pau dele... Olhei o relógio do celular. Quatro horas e três ligações não atendidas de Karen! Apesar da tentação de dormir aninhada no peito depilado de Gabriel, mesmo sem ter sido convidada, me vesti e saí corredor afora, dessa vez sem me preocupar em não fazer barulho.

Ele me fez um último grande favor antes de me dar as costas e cair na cama: chamou um táxi.



4 comentários:

Eraldo Paulino disse...

Minhas quintas se tornaram mais agradáveis ...

Ótimo! Muito bom mesmo!

Bjs, querida!

A Mina do cara! disse...

gostei demais!

Alline disse...

Eraldo:
Agora as minhas também. =DDDD
E não é? Saber que tem que curta as loucuras que eu screvo é sempre um prazer.

Beijão!

----------

A Mina do cara!:
Então volte quinta que vem - a história continua. ;)

Eder Asa disse...

Essa história está cada dia melhor rsrsrs
Cada postagem mais excitante também...

Ósculos riscados =D