quarta-feira, 22 de outubro de 2008

desespero de causa

- Eu te amo, Heitor.
- Eu sabia que isso não ia dar certo.
- Juro! Nunca conheci um homem como você. Nunca! Agora eu sei que você é o homem da minha vida.
- Mas olha pra mim, Teresa. Eu nem sou um cara rico.
- O que importa é o amor que a gente sente. Pensa que eu sou uma dessas interesseiras?!
- ... nem bonito.
- São detalhes. Beleza não põe mesa.
- E se eu te disser que eu adoro futebol e não perco por nada desse mundo um jogo do Avaí?
- Sem problema, eu posso ficar na casa da minha irmã.
- E jogo pôquer às quintas.
- Eu confio em você.
- Não tenho carro...
- Eu gosto de andar a pé. E não vou morrer se pegar ônibus.
- Sabia que detesto crianças?
- Ufa, que alívio! Estava criando coragem para dizer o mesmo.
- Minha mãe, lembra? Ela mora comigo. E a dona Genoveva é fogo.
- É porque ela ainda não me conhece, bobo.
- Eu ronco!
- Idem! Estou achando que vamos nos dar muito bem. Tipo casal perfeito, sabe?
- Realmente não entendo as mulheres...
- Deixa que eu te ensino, Heitor.
- Olha, estou ficando careca...
- E continua um charme.
- Será que você não percebe? Nunca tive namorada...
- Sempre é hora de começar.
- Aos quarenta? Eu sou gay, Teresa!!!
- Por mim tudo bem, desde que você não use minhas calcinhas. Que tal?

8 comentários:

Paulo César Nascimento disse...

Heitor: "Eu vou alargar os seus sapatos!"

Alline disse...

Teresa: Eu posso te emprestar o batom.
rsrs

Paulo César Nascimento disse...

Heitor: "Não esses horrorosos que você usa! Eu só uso da Guerlain!"

Alline disse...

Teresa: Então VOCÊ vai me emprestar. Aliás, eu queria umas dicas de maquiagem. Você me ajuda, Heitor? Eu às vezes acho que sou muito básica...

Ricardo Rayol disse...

o título não podia ser mais apropriado

Alline disse...

E era outro - troquei pra esse de última hora, depois de dar uma lida. Essa Teresa faz coisa! rs

Sexo, Poesia e Bossas Velhas disse...

tá parecendo o diálogo final do "quanto mais quente melhor" do billy wilder, mas o dialogo era entre dois homens.

Alline disse...

Sério? Não vi esse filme. O Tony Curtis e o Jack Lemmon eram bem novinhos e viviam brigando, não era isso?