terça-feira, 25 de maio de 2010

Disinganado

- Como é que é, malandragem, num vai trabalhar, não?
- Ô mulher, tô sentindo uns negócio aqui por dentro. Hoje é que num vou sair do barraco. Ó só como é que eu tô pegando fogo.
- Ficou louco?! Os homem te manda embora. E os bacuri? A gente nunca passamo fome nessa vida, Bastião.
- Tô com muita dor, minha nega. Num tô guentando. Acho que vou morrer.
- Deixa eu dá uma olhada.
- Os doutô mandou eu ficá sossegado...
- Tu foi vê os médico?
- Tô disinganado, Ceição, foi o que me contaram. Num tem curandeiro que me dê jeito.
- Num vamo desesperar, Bastião. Nós tira um dinheirim debaixo do colchão pra te tratar.
- Ô vida miserávi! Num sou um traidor fio das puta que mexe com as mulher dos outro, boto comida no barraco e nunca neguei um chamego pra tu, Ceição.
- A gente sabemo disso tudo, Bastião.
- Os bacuri tão quase chegando. Qui é que eu vou dizê? Tô suando! Vou borrar nas calça!
- Nós faz que não é nada.
- Ceição?
- Diz, Bastião.
- Tá perto...
- Num diz besteira!
- Queria fazer um último pedido.
- Seu safado! Não me diz que tu tá querendo...
- Daqueles lado de lá num vô podê mais.
- Desembucha, homem! Que é que tu quer da Ceição?
- Um pirãozinho com peixe ia bem pro último almoço. Se tiver uma branquinha, melhor ainda.
- ...


Nada aconteceu com Bastião. Ele foi apenas mais uma vítima de exames trocados. Continua comendo bem, bebendo quase sempre e fazendo dengo pra Ceição, que segura as pontas lavando pra fora enquanto ele procura emprego.

11 comentários:

Lady Cereja disse...

Fala se homem não faz muito mais corpo mole do que mulher? Qualquer dorzinha já derruba o mais trancudo dos homens.
Depois nós é que somos o sexo frágil!
Beijos moça!

Eraldo Paulino disse...

Seu bom humor é D+

E é assim mesmo que o povo costuma falar

bjs!

Alline disse...

Lady:
Já tinha percebido isso, sabias? O homem, de maneira geral, fica todo manhoso até com uma gripe. E a mulher ao lado tem que dar conta dele... rsrs
Beeeeeeeijo

Eraldo:
Menino, o negócio era muito mais complicado! De começo era como se a pessoa estivesse falando, a palavra correspondendo exatamente ao som. Mas ia ser fogo de ler, então...
Beijo!!

Ana B. disse...

mais uma vítima de exames trocados foi ótimo
uehehehe

=***

Marco H. Strauss disse...

Nova vida de desempregado, então? hahahahaha Ficou bom.

Milena disse...

Oh, manhã...
Texto muito divertido. Parabéns.
obs: pelo menos não cortaram a perna dele.

Luna Sanchez disse...

Ow...finais felizes me emocionam!

Hohohoho

Beijocas, moça!

ℓυηα

Alline disse...

Ana:
A vítima foi a Ceição... huheuehue

Beeeeeeijo

Marco:
Era vida que o Bastião pediu a Deus... com a Ceição do lado, claro.

Milena:
É verdade, ele ficou com as pernas e todo o resto. hehehe

Luna:
Beeem feliz, mas de um jeito diferente. ;)
hihihi
Beeeeeeeeeeijo!

Menina Misteriosa disse...

Homens... sempre acham que vão morrer! 'Ceição' nem vai se preocupar mais, da próxima vez... falta só torcer para não ser verdade! ;)

Beijo!

Alline disse...

Olha, acho que a Ceição se preocupará sempre quando se tratar do Bastião dela.
Homem doente sempre acha que está à beira da morte, é verdade. rsrs

Beijo!

Sylvia Araujo disse...

Ah, que maravilha! Muito bom, Alline. O ritmo dos teus contos não me deixa ir embora daqui. hahaha

Beijo