terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Soltando a franga

No carnaval acontecem coisas. O Rubens, marido da Angelita, saía todo ano num bloco de amigos, cada vez com um modelito diferente. Eram dias de folia e ele justificava a mudança radical dizendo que precisava fugir da rotina sufocante e se divertir como todo mundo.

A criançada vibrava. Tão inocentes, não viam mal no pai de peruca loira, usando os vestidos, as minissaias e os tops da mãe. A mais nova, de 6 anos, ficava toda orgulhosa de emprestar as roupinhas das bonecas para rechear o sutiã do pai e ainda dava palpites na maquiagem exagerada e lambuzada, parte que mais entusiasmava o Rubens.

Como sempre ele passava as quatro noites na rua vestido de mulher, requebrando as falsas cadeiras para os homens que passavam sem o menor pudor. A Angelita, que não era de carnaval, ficava em casa e aproveitava o tempo para colocar as leituras em dia enquanto as crianças jogavam no computador. O Rubens só vinha dar o ar de sua graça no dia seguinte. Tirava um cochilo, chamava a Adrianinha para retocar o batom vermelho-sangue e saía de novo, com uma cerveja em cada braço.

E assim era os carnavais para a famíla Silva. Diversão tresloucada para o Rubens, descanso para a Angelita, uma piada de mau gosto para a sogra e, para as crianças, gargalhadas na janela sem maiores consequências.

Só houve um problema: na última noite Rubens se empolgou com o sucesso da sua dança do ventre exuberante e se recusou a tirar a fantasia de odalisca que Angelita bordou especialmente para ele. Hoje, a sogra chama-o de "fresco" e Angelita faz o que pode para esconder das crianças a nova personalidade do pai. Se ao menos o Rubens não fizesse tanto barulho com os saltos...

6 comentários:

Nó! disse...

uahahahaha

eh, essa coisa de pelo Brasil inteiro os homens se vestirem de mulher no carnaval... pra mim não há folia q justifique

Alline disse...

Eu só rio. ;)

Luna Sanchez disse...

Ahahahahaha

Pra quem quer fazer, qualquer coisa serve de desculpa, né?

Eu, como não tolero Carnaval...

Beijo, Alline.

ℓυηα

Albatroz disse...

iiiiiihhhhhhhhhhhhh...

Gostou... agora tá feito o estrago.

Usar no carnaval é uma coisa, usar no resto do ano é baitolagem...
Pior agora é disputar as roupas com a esposa..hahahahahaha

Albatroz disse...

é para rir mesmo,,,, de chorar!!! kkkkkkkkk

Olha a cabeleira do Zezé, será que ele é, será que ele éééééééééééééé

Ricardo Rayol disse...

eu conheço um cara que assumiu esse lado alegre de ser. Mulher e 3 filhos, o mais velho com 16 anos. E é daqui.