quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Olha a gafe aí, gente!

Vou ajudar uma moça cega a entrar no ônibus. Falo muito perto do ouvido dela, e num tom mais alto que o normal (GAFE 1).

Lembrar sempre: a pessoa é desprovida de visão, não de audição.

Depois agarro-a pelo braço com firmeza, para conduzi-la à entrada do coletivo (GAFE 2).

Lembrar sempre: o deficiente visual é capaz de seguir sozinho, só é necessário que tenha a indicação clara. E ele pode preferir segurar o braço de quem o guia e não ter o seu próprio braço agarrado e erguido.

Essas informações preciosas eu ouvi de Geraldo Magela em algum programa de TV, mas só me lembrei delas quando a moça já estava entrando no ônibus. Fica pra próxima.

6 comentários:

Nó! disse...

bom, pelo menos vc lembrou depois e vai melhorar da próxima vez

tem gente que faz isso, e depois ainda se sente a madre tereza de calcutá por tanta generosidade!

Lana disse...

Eu já cometi uma pior: uma mulher do meu ex-estágio, de outra seção veio fazer uma planilha comigo, de repente começo a escutar um barulho bem alto, como um apito, e eu solto:

"mas que porra de barulho é esse?"

E aí ela mexe no aparelho de surdez. Nunca na minha vida precisei tanto de um buraco no chão pra me enfiar.
Beijo!

Eraldo Paulino disse...

rsrsrs

Como eu sou um expert em dar mancadas do tipo, comecei a me contorcer de vergonha aqui imaginando a situação...

Mas como diz o outro: Bola pra frente!

bjs

Carmem Tristão disse...

eu sou a rainha das gafes. na época em que era repórter de rádio, fui entrevistar um deputado estadual que é cadeirante. fiquei em pé e posicionei o gravador na frente dele. na redação, comentei: "deputado fulano é estranho... durante toda a entrevista não levantou o rosto pra conversar comigo". ao que alguém me chamou a atenção: "pudera. você foi grossa e mal educada com ele. é necessário colocar-se numa posição em que seus olhos fiquem na mesma altura dos olhos do cadeirante". que vergonha... assim que tive oportunidade pedi desculpas a ele.

não sou cadeirante, mas vou usar o argumento quando for entrevistar Anderson Varejão novamente rsrsrsrs (PS: ele é o capixaba que faz parte da liga de basquete da NBA).

Beijo!

Luna Sanchez disse...

O que vale é a intenção, moça.

Beeeeeijo.

ℓυηα

Allan disse...

... Eu meti dois balaços na mesma semana - passada -.
"... Quando vocês vão aparecer aqui em casa?!...
... - Bom, a gente se separou... Você não sabia?..."
A outra foi no mesmo naipe, mas foi ao vivo. Não sei qual é pior.
Mas cheguei a uma conclusão! Pra ser bom mesmo, fera, superpoliticamentecorreto, se um dia separar, vou meter Email, atualizar no Blog e no Twiter, e se facilitar vou avisar a dona Matilde, do 102, que vai ser batata!