quarta-feira, 23 de março de 2011

PARABÉNS A VOCÊ, FLORIPA!
PARABÉNS A VOCÊ, JOÃO!


Eu não deveria ter ido por causa da perna, ainda naquele estágio meia-boca, dói, não dói, vai, não vai. Quer saber? Dane-se, eu fui. Tinha apresentação do queridíssimo maestro João Carlos Martins na Beira-Mar, em comemoração ao aniversário de 285 anos de Floripa. Ah, se eu ia perder! Carreguei a mãe, que carregou o banquinho para mim. Este não usei, senão ia perder a festa em imagens no palco e no telão. Me apoiei num pé, depois no outro, e assim fui ficando durante mais de uma hora.

O bizarro: A orquestra tocando Mozart e o pipoqueiro passando com o carrinho superiluminado. Quando a música ficou mais suave deu pra ouvir a pipoca estourando logo atrás.

O tragicômico: O moço do lado deixou cair alguma coisa que bateu no meu pé. Não deu muito tempo pra ele estar tateando a grama em busca da tampa do celular que caiu. Enquanto isso, a quinta de Beethoven rolava no palco.

O delicioso: Cantar Trem das Onze com a galera ao redor, acompanhada da orquestra. Eu era uma das 12 mil pessoas que se preocuparam mais com a empolgação do que com a afinação.

Não posso ficar nem mais um minuto com você
Sinto muito amor, mas não pode ser
Moro em Jaçanã,
Se eu perder esse trem
Que sai agora às onze horas
Só amanhã de manhã.
Além disso, mulher
Tem outra coisa,
Minha mãe não dorme
Enquanto eu não chegar,
Sou filho único
Tenho minha casa para olhar
E eu não posso ficar.


O arrepiante: Ouvir João ao piano executando Libertango (adoooro!), de Astor Piazolla.

A boa surpresa: A união da cuica à orquestra para a execução de Brahms. Inesquecível!

Orgasmos múltiplos: A Sinfonia Nº 5 de Beethoven de volta no final, dessa vez com alguns integrantes da bateria da Vai-Vai.



Muitas palmas, muitos “Uhuuus”, o simpático grito  “Valeu, João” de um anônimo e fogos de artifício para iluminar o feliz caminho de volta para casa de todos os que passaram por ali.

6 comentários:

Ana B. disse...

Nossa, que inveja, que inveja!

Acho que isso sim foi uma comemoração em grande estilo!

Adoro Floripa, embora o bairrismo exacerbado de certos amigos meus me dê nos nervos, mas também... o seu jeito de falar parabéns a Floripa foi muito mais simpático que o dos meus amigos! kkkkkk Eu já tava era com agonia do aniversário dessa cidade, até ver seu link no FB e seu post aqui!

Lindo, lindo!

Bjo

Alline disse...

Ana,pruma cidade que costumava comemorar com pagode foi um avanço. Outras pessoas também puderam se divertir. rs

Ó, eu não sou nem um pouco bairrista, sou a primeira a reconhecer que a cidade tem carências que vão além das belezas naturais. Sabe o que é superengraçado? Ao meu redor quase não há mais gente daqui, os manezinhos. A maioria é de paulistas e gaúchos. Às vezes eu me sinto a turista. rsrsr

Beijobeijo!

Allyne Araújo disse...

nossa Li! entao foi demais!!! Bem, é bom tomar certos cuidados com esse pé,mas vá! só uma vez nao mata!!!! beijooo e vc nao vai me visitar (o novo blog - fazendo cara de cachorro pidão)??? beijooooo e se cuida!!!!!!!!

Eder Asa disse...

Ah que inveja rsrs
Tinha que ir mesmo, perna se tem duas... HAHAHA'

Luna Sanchez disse...

Fiquei com vontade, Li! Eu cantaria "Trem das Onze" feliz da vida, com toda o talento vocal que Deus não me deu!

Beijos, queridona!

El Brujo disse...

Parabéns a Floripa, a Ali e ao 38 (adorei)!