segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

invasão

O nobre representante (operador de telemarketing) da GVT me ligou esses dias.

Ele [todo sorrisos]: Boa tarde, senhora Alline. Tudo bem com a senhora?
Eu [não muito simpática]: Tudo.
Ele [ansioso]: Eu gostaria de falar sobre os novos pacotes da GVT...
Eu [ansiosa]: Ah, moço, eu já tenho Net, tô satisfeita e não quero trocar.
Ele [bronqueado]: Poxa, nem vai querer ouvir a proposta?
Eu [aflita]: Não, moço. Como eu disse, eu tô satisfeita com o que eu tenho.
Ele [puto da cara]: Obrigado.
E desligou sem esperar que eu desse tchau. Grosso!

No mesmo dia, a mocinha da Abril surgiu do nada, sinal de que apesar de eu ter trocado o número do telefone alguém já descobriu e tratou de divulgar.

Ela: Boa tarde, senhora Alline. Tudo bem com a senhora?
Eu [achando graça porque o cara da GVT tinha usado exatamente as mesmas palavras]: Tuuuudo.
Ela [animada como uma cheerleader]: Eu estou ligando porque a senhora já foi assinante da revista Nova. É isso?
Eu [adivinhando o que viria]: Sim.
Ela [sacudindo os pompons]: Então, senhora Alline, a Editora Abril tem uma oferta especial para a senhora...
Eu [agoniada para acabar com a conversa]: Olha, eu não tenho interesse, não. Já assinei a Nova, a Cláudia, a Saúde, a Marie Claire, que é da Globo, e acho que as revistas estão muito repetitivas. Prefiro olhar a capa na banca e comprar quando tem um assunto que me chama a atenção.
Ela [um pouco histérica]: Mas senhora Alline, são 2 anos de assinatura e mais um grátis por apenas... [não lembro o valor], e a senhora só vai começar a pagar em março. Não é uma ótima oferta?
Eu [impaciente]: É ótima, sim, mas eu não tenho interesse mesmo, obrigada.
Ela [insistente]: A senhora poderia dar de presente para uma amiga...
Eu [à beira de um ataque de nervos]: Não, eu não quero mesmo, mas agradeço você ter ligado.
Ela [vencida]: Tá bom, senhora Alline. A Editora Abril lhe deseja uma boa tarde.

Ufa, dois no mesmo dia! No fundo, bem lá no fundo, eu tenho pena desse povo que trabalha com telemarketing. Afinal deve ser estressante pra chuchu ter que amolecer gente como eu todo dia. Eu sou dura na queda, ainda mais quando alguém para quem eu não dei o número do telefone vem invadir minha privacidade tentando empurrar produtos & serviços que eu não pedi para conhecer. E não tem conversa. Comigo não.

5 comentários:

Pepper Popps disse...

Pois é amiga,já trabalhei como operadora de telemarketing mas o meu setor era o de cobrança!!!!!
Já ouvi "elogios" que nunca imaginei ouvir na vida hahahaha!
Hoje quando esses malas me ligam começo a tratá-los exatamente como uma operadora de telemarketing, garanto, eles ficam doidos sem entender nada hahaha!
Beijos minha querida!

Sexo, Poesia e Bossas Velhas disse...

é o serviço deles. a vivo até q é legal, eles tocam uma mensagem antes: se quiser ouvir a oferta continue na linha, se não desligue. mas é a velha história, os caras tem que bater na tua porta pra te oferecer algo, criar em você a necessidade.

Vladimir disse...

Alline, de fato, ninguém merece duas no mesmo dia! Melhor foi o Seinfeld atendendo a uma dessas ligações:
"Sim, estou interessado no seu produto, mas agora não posso falar. Me passa o telefone da sua casa, que te ligo à noite.(...) Ah, você não quer ser incomodado na sua casa? (...) Nem eu!" CLICK!

Vladimir
http://cantodovladimir.zip.net

Ricardo Rayol disse...

Você assinava Nova???? kkkk

O pessoal que trabalha com vendas por telefone rala, e o pessoal que cobra navega em mar de almirante

Alline disse...

Pepper:
A culpa nem é deles, mas de quem inventou essa função besta de incomodar via telefone. Pelo jeito hoje não tens mais nada a ver com o meio. Sorte tua!
Beijo, beijo.

L.:
É disso que eu não gosto - deles quererem criar uma necessidade pra mim. Sou rebelde! rs

Vladimir:
Se um dia me pegarem de bom humor quem sabe eu não dou uma de Seinfeld também? Muito bom essa!

Ricardo:
Pô, isso foi no século passado. Mas depois de um tempo era sempre a mesma coisa: sexo, tratamento de beleza para ficar igual à fulana de tal e 10 maneiras de conseguir um homem. Cansei. Ah esqueci de dizer que assinei Você S.A. também. *=P