quinta-feira, 28 de julho de 2011

JAZZ

A palavra silencia no
corpo ainda morno de amor.

Jaz o disco na vitrola

de tanto tocar
o intocável

alma.


7 comentários:

Alene Mattos disse...

nem fale...
fazer drama pra mim mesma é meu esporte favoriiito!
haushaushasuhasu


bju grande!

El Brujo - Rock disse...

Aqui jaz um velho blue tocado a 4 mãos...

Durmo com fome das letras escondidas que cismam de visitar nos sonhos pra aplacar minha insanidade, derramado meu prazer!

Frau Forster disse...

Adoro essa imagem do jazz na vitrola =)

Eraldo Paulino disse...

Uau!

Lindo demais, querida.

Bjs!

Alline disse...

Alene:
Agora virei piada pra mim mesma - depois do drama feito eu acho graça. rsrs

Dramáticas somos nós!

Beijão!

------------------

Rock:
Um blues ressuscitado e repaginado, pra tocar na vitrola velha, nas madrugadas pós-gandaia. ;)

------------------

Frau:
Fiquei seduzida pela imagem, deveria até ter me estendido nas palavras, mas... fiquei por ali. rs

------------------

Eraldo:
Lindo és tu. =)

Beeeeeeeeijo

Luna Sanchez disse...

Ah, que cenário bonito, Li! Vou colocar no meu roteiro de reinvenção pessoal.

;)

Beijos aos montes!

Alene Mattos disse...

Jazz pra o povo, Garçom!