sexta-feira, 22 de maio de 2009

ó dúvida cruel!

Se a Pringles não é batata, é o quê? Há algum tempo havia, sim, um POTATO bem legível nas embalagens. Onde foi parar? Hoje a Procter & Gamble afirma que tem apenas 42% do tubérculo no produto. O restante é farinha e gordura. Afff... Então era isso que eu adorava degustar? Vai lá, dona P&G, vai pagando logo esse imposto das batatas e me deixa aumentar o nível de colesterol em paz.

Um comentário:

Mônica disse...

Adooooooro Pringles, sou capaz de devorar aquela latinha em minutos, mas confesso que parei (bem, diminui consideravelmente o consumo) desde que entrei numa paranóia besta de evitar os transgênicos...No final das contas acho que esse é o menor mal diante de tanta porcaria que ingerimos!;)